quinta-feira, 9 de setembro de 2010

MÃE, VAMOS AO MUSEU ?

Nestes dias de calor, e que já estamos cansados de fazer o mesmo programa - ir a praia, porque não ter a coragem de fazer algo diferente? Sim, as rotinas devem ser mudadas e pode ser divertido visitar um Museu que fica na sua cidade.

Claro que esta opção não deve estar revestida de nenhuma intenção de dar uma "aula de cultura" a seus filhos. Aceite desde cedo que cada pessoa tem o direito de ter a sua própria cultura. Vá ao Museu e deixe que as crianças sejam conduzidas pela sensibilidade.

Sim, não precisamos de crianças "obesas de informação", precisamos de pessoas que cresçam com sensibilidade e afeto. Visitar um Museu, é deixar-se levar pelo olhar e por uma história, a história dos nossos tempos.

Conhecer um pouco da memória, nos faz estar mais próximo dos lugares em que vivemos e pode ser uma boa forma de motivar o seu filho a estar mais atento a tudo que está à sua volta.

Não se preocupe em comentar cada peça, cada pintura. Deixe que olhe ,observe, admire, interrogue e que algumas vezes se distraia e faça perguntas.

Não há idade para ir a um Museu. Desde que a criança se sinta confortável , e que no primeiro sinal de aborrecimento seja levada embora, qualquer criança pode desfrutar o prazer desta actividade.
Depois da visita, pode ser divertido fazer um lanche a céu aberto e ter conversa tranquila sobre as descobertas que fizeram juntos.

Informe-se na sua cidade que Museus existem. E se em algum deles há um Serviço Educativo, não deixe de visita-lo.  Há Serviços Educativos que proporcionam para Pais e Filhos actividades de grande qualidade com Arte à mistura.

Não espere que o seu filho "cresça" para visitar museus ou assistir um concerto, não há idade certa para despertar a sensibilidade.Comece já.

LER PARA O MEU FILHO BEBÉ?!

  • Sim, comece a ler para o seu bebé, a partir dos seis meses . Não se preocupe em ler um livro completo. Desperte o interesse da criança com pequenas histórias, lengas lengas e canções.Perca o medo de cantar para o seu filho, cante,faça sons com a boca e deixe-o imita-lo. Não se esqueça de deixa-lo conversar também. Não seja tagarela: fale e ouça. E o seu bebé fala, através do sorriso, do olhar e do toque. Mantenha-se atento a sua comunicação.

  • Compre livros com imagens e deixe-o olhar, observar sem pressas, numa conversa íntima preenchida de cumplicidade. Não apresse o seu filho a conhecer as palavras, ele seguramente as aprenderá se tiver espaço para brincar, observar e principalmente prazer em descobrir.

  • Deixe-o acompanhar a leitura com os dedos e responda as suas questões. Se  apontar para um cavalo, explique- é um cavalo. Depois, imite o som do cavalo. Motive-o a repetir o som e  a associar o som, ao animal.Deixe-o explorar o livro através das imagens, não faz mal, se não conseguir ler a história na íntegra.

  • Compre livros que possam acompanha-lo nas suas aventuras diárias. Livros para o banho,livros com diferentes texturas, livros com sons,  livros almofada etc. Procure nas livrarias os livros especializados para bebés, o seu filho vai lhe agradecer com certeza.

  • E finalmente, leia para o seu filho por prazer, pura alegria. Aproveite cada cantinho de cumplicidade que esta actividade pode proporcionar.