domingo, 30 de janeiro de 2011

Conhecer as próprias emoções- Autoconsciência

"A autoconsciencia- o reconhecer um sentimento enquanto ele está a acontecer- é a pedra-base da inteligência emocional. É ser capaz de controlar momento a momento as sesações é crucial para a instrospecção psicológica e o autoconhecomento. A incapacidade de reconhecer as nossas próprias sensações nos deixa a mercê deles. As pessoas têm uma certeza maior a respeito dos seus sentimentos governammelhor as suas vidas, tendo uma noção mais segura daquilo que realmente sentem a respeito das decisões que são obrigadas a tomar,desde com quem casar a que emprego aceitar"

Trecho do livro,Inteligência Emocional, escrito por Daniel Goleman,mais uma sugestão para a sua estante.


Gerir as emoções

É ser capaz de conhecer as próprias emoções e comunica-las de forma apropriada.
Os psicólogos, utilizam uma palavra complicada -  metacognição- ou seja, ser capaz de pensar os seus pensamentos; elaborar os seus sentimentos e ser capaz de tirar conclusões.

Conhecer o que se sente, nos permite fazer escolhas. Conhecer as razões porque estamos mais deprimidos ou mais contentes, pode nos permitir, nos concentrar num estado de contentamento por mais tempo, afastando-nos de forma racional da melancolia e de estados menos produtivos.

Mas na verdade, gerir as emoções nos permite encarar a vida de forma mais saudável, controlando os nossos impulsos e evitando que nos comportemos como "um balão estourado".

Fica a sugestão do vídeo,  onde Daniel Godri, consultor de várias empresas no Brasil, de forma leve e humorada, nos mostra a importância de gerir as emoções e não se deixar levar .

Espero que goste.



Pense nas suas escolhas, lembre-se que é o principal exemplo para os seus filhos.

Auto-Motivação

Colocar as emoções ao serviço de um objectivo. Ser capaz de lidar com a frustração e com as dificuldades.
Uma pessoa auto motivada, é aquela que consegue delinear um plano de acção e leva-lo à risca, gerindo a adversidade, sempre na busca do seu prémio- um objectivo, um sonho.
Ser motivado é algo muito importante nos dias actuais. Permanecer auto confiante mesmo quando o grupo não possui energia, é uma habilidade que devemos ter em conta se desejarmos concretizar os nossos sonhos.
Uma pequena história para ilustrar:

"Certa vez três leões de uma floresta reuniram-se para decidir qual deles seria o rei dos reis.
Resolveram que o leão que chegasse primeiro ao topo de uma montanha seria o rei. O desafio foi aceite.
O primeiro tentou. Não conseguiu, foi derrotado.
O segundo tentou. Não conseguiu, foi derrotado.
O terceiro tentou e também não conseguiu.
Os animais ficaram então sem saber o que fazer, pois os três tinham sido derrotados. Nesse momento, um sábio apareceu e falou que tinha escutado o que cada um deles havia dito para a montanha e que podia decidir que seria eleito o rei dos reis.
O sábio contou que o primeiro leão havia dito "Montanha, tu venceste-me!", que o segundo leão também tinha dito a mesma coisa, mas que o terceiro leão dissera: "Montanha, tu venceste-me, mas só por enquanto! Tu és montanha, já atingis-te o teu tamanho final, enquanto eu ainda estou a crescer".
- A diferença - completou o sábio - é que o terceiro leão teve uma atitude de vencedor diante da derrota e aquele que age assim mostra-se maior que o seu problema. Está, portanto, preparado para ser um líder.

Então, que leão deseja que o seu filho se transforme?

Empatia- reconhecer as emoções dos outros


Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro. Tentar colocar-se na pele do outro, como se utilizasse os seus sapatos.
Literalmente é trocar os seus olhos pelos olhos dos outros, e assim, enxergar com o olhar do outro, compreendendo-o e respeitando-o, sem fazer juízo de valores.
Grande parte dos conflitos humanos seriam diminuídos, se a Empatia fizesse parte do dia a dia de todos.
Muitas vezes, prevalece a necessidade de estar certo ou de fazer valer a opinião pessoal. Mas a pura verdade, é que as pessoas Empáticas possuem uma vida mais equilibrada; mantêm relacionamentos positivos, são bons mediadores de conflitos e conseguem sucesso pessoal.

Ficou convencido (a) ? E o que acha de ensinar o seu filho o dom da Empatia?
Algumas sugestões:
  • Ensine o seu filho a amar a vida. Respeitar a Natureza e amar os animais, a Empatia se estende a todos os seres vivos.
  • Motive-o a ser amigo de crianças menores; deixe-o contar-lhes histórias e ser "cuidador", uma espécie de irmão mais velho pela positiva.
  • Faça passeios na Natureza, deixe-o ler a paisagem. Faça-o  sentir -se parte integrante desde belo Planeta que é a Terra.
  • Seja um exemplo de Empatia; ouça-o, valorize a sua presença.
  • Faça uma seleção de livros infantis onde a Empatia faça parte da história. Depois da leitura, converse com seu filho, uma conversa calma sobre o que achou.
  • Motive o seu filho a ser solidário. Seja solidário.
  • Ajude o seu filho a estabelecer laços sociais, ensine-o a negociar as diferenças.

Gerir relacionamentos

A arte de nos relacionarmos é, seguramente uma habilidade que pode nos transmitir melhor qualidade de vida. Para muitos, esta capacidade de inteligência social é gerida facilmente, mas para alguns, é algo amargo e extremamente trabalhoso.
Conseguir se relacionar com os outros de maneira satisfatória, e ser capaz de estabelecer relacionamentos positivos, é uma capacidade que está diretamente relacionada com a aptidão de gerir as emoções dos outros.Este trabalho deve começar desde cedo, por isso ajude o seu filho.

Mas como? Como poderemos ajudar as crianças nesta tarefas?
  • Motive-o a ter amigos. Valorize a sua capacidade de conhecer e de se relacionar com outras crianças.
  • Abra o espaço da sua casa para outras crianças, não ame apenas o seu filho, encontre espaço para os amigos da escola,os primos, os vizinhos. Aceite como a mais pura verdade que recebe-los com um sorriso, é o primeiro passo para o seu filho aprender a importância da amizade.
  • Quando for buscar o seu filho na escola, organize o seu tempo para não estar sempre com pressa. Permita-se sentar e observa-lo a brincar com outras crianças, assegure-o que este tempo é respeitado por si.Quando for apresentado aos seus colegas de escola, seja cordial e meigo, as crianças gostam de sinais de afecto.
  • Quando o seu filho tiver uma discussão com algum amigo, ouça-o sem interromper e por favor: não o critique. Valorize que deve aprender a lidar com as diferenças e a gerir as emoções. Ajude-o a lidar com diferentes opiniões e resolver os seus problemas sozinho.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Biblioburro



Um forma criativa de promover a leitura.
O professor è Colombiano, e o Ministério de Educação do seu país, não lhe deu grande nota, afinal, quem está no ativo e faz a diferença, é simplesmente considerado - sem classificação.
Entristecemos com esta educação, com letra minúscula, tão conservadora e que não conquista os alunos e não promove mudanças.

Bonito, é ver a meninada reunida, contente, com tanto livro para descobrir!

Oliver Jeffers - O Coração e a Garrafa

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

OS DIREITOS DAS CRIANÇAS- Toda a criança têm direito a cuidados de saúde

OS DIREITOS DAS CRIANÇAS- Toda a criança tem o direito de brincar

DIREITOS DAS CRIANÇAS- Toda a criança tem direito a livre expressão

DIREITOS DAS CRIANÇAS- Toda a criança tem o direito de ser protegida dos abusos

OS DIREITOS DA CRIANÇA-Toda a criança tem direito a educação.

DIREITOS DAS CRIANÇAS- Toda a criança tem direito a proteção.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

O Ano Novo Chegou, e mantemos o nível de Criatividade em Alta!

O Ano Novo chegou, veio com boa disposição e céu bonito.
A mesa de trabalho continua cheia, o que é bom sinal, e o coração cheio de sonhos.
O programa sobre "Criatividade para Pais e Filhos" recomeça.
Amanhã, Terça - feira, às 10:15 , sempre na RTP Madeira- Antena 1,vamos falar da "Importância do Brincar".
Vai ser bom contar consigo.

O melhor brinquedo para os filhos, são os seus pais


Esta máxima quer apenas afirmar, que por mais promoções que existam nos supermercados, ou ,por mais inventivo que o novo jogo de computador seja, nada é mais importante para a vida saudável de uma criança, do que o investimento afectivo dos pais que brincam com ela.
Sim, é verdade que as crianças gostam de desenhos animados, e que algumas delas são apaixonadas pelo homem aranha.
Mas, os seus maiores heróis, são aqueles que lhes servem de exemplo, e que, de forma íntima, copiaram os gestos, os gostos, as palavras. Por isto,os maiores heróis para uma criança ,são os seus pais.

O Brincar e a Criatividade

Quando os pais brincam com os seus filhos, sem cerimónia e com prazer, permitem que a Criatividade encontre espaço e desenvolva-se.
É através da apercepção criativa, que se obtém o verdadeiro prazer em viver, e, a crença de que a vida, vale a pena ser vivida.
Brincar é assim; um espaço para experimentar e desenvolver a Criatividade - competência muito importante para uma vida saudável.
Sem a Criatividade, a vida transforma-se num mundo enfadonho; com apenas regras a seguir e a adaptar-se. Mas, através da Criatividade, a vida passa a ser construída a todo o instante, sendo a pessoa livre para escolher e para ser.
Logo,Brincar faz bem a saúde e a ajuda a crescer.

Os brinquedos foram feitos para serem descobertos com os olhos, com as mãos, com a boca, com o corpo

Os brinquedos servem apenas para uma função: fazer pensar.
Os cubos de madeira, servem para fazer construções e para aprender a coloca-los, uns dentro dos outros.
A plasticina, serve para pensar as formas e esculpir o mundo que vemos à nossa frente.
O tambor, serve para fazer sons e nos fazer pensar, que há sons muito baixos e muito altos,e que, os sons podem estar todos muito juntos ou muito afastados - basta para isto- tocarmos mais rápido ou lentamente.
Sendo assim, podemos afirmar que os brinquedos nos pertencem, assim como, nos pertence a habilidade de pensar.
Por isto, muitas vezes, as crianças “pensam com as mãos”, e no desejo de descobrir como é que o brinquedo funciona, destroem-no, num ato de investigação e descoberta.
Logo, os brinquedos, não são talismãs sagrados que devem ser reverenciados no altar.
São, na maior das verdades, objetos que podemos investir amor, carinho, dúvida, descoberta e até fúria e ansiedade.
Quando o brinquedo serve a esta função, então brincar passa a ser um verdadeiro exercício para a vida.

Não existem “brincadeiras violentas”,existe sim, um espaço dentro da brincadeira onde a ansiedade, a revolta, a raiva pode ser expressa


Quando as crianças durante as suas brincadeiras, podem expressar as suas angústias e frustrações, conseguem aliviar-se do peso emocional destes sentimentos.
Quando as crianças podem dramatizar em pequenas brincadeiras: o lobo mau, a professora castigadora, o pai rezingão, podem de forma saudável, dar voz as suas personagens interiores,isto, lhes permitirá conhecer melhor as suas emoções e os seus estados emocionais.

Desarrumar o quarto é importante para um brincar saudável,afinal, o quarto é um espaço onde se encena a fantasia que vive na imaginação


Ao contrário do que se possa imaginar, os quartos das crianças, não são instâncias de férias, que devem estar sempre arrumadas e a condizer.
O quarto é para uma criança, o seu palácio. Por isto, nunca deverá ser encarcerada , no seu próprio quarto, de castigo e com a porta fechada.
Neste palácio dos Contos de Fadas, tudo é possível. O urso de peluche é o conselheiro. Há uma pequena corda onde está amarrado um cavalo voador. Debaixo da cama, há um portal para a Terra dos Dinossauros e os monstros do armário fazem parte de uma banda de rock.
Os brinquedos são espalhados fervorosamente e demoram muito em voltar para a caixa, porque estão cheios de vida.E ninguém, em perfeito estado de alma, é capaz de mandar de volta para uma caixa velha e sem vida, seres tão cheios de imaginação.
Alguns pais travam verdadeiras batalhas com o quarto desarrumado, vendo na desarrumação; incapacidade de lidar com regras e de se organizar internamente.
Mas a verdade, é que os quartos são desarrumados, porque são. E que bom é que é, poder deixar que o sonho, nem que seja por alguns instantes, tomar parte da vida e deixar tudo de pernas para o ar, como uma boa gargalhada.