sábado, 10 de julho de 2010

PLANETA TANGERINA - MUITO OBRIGADO!


Se eu pudesse com esta idade,escolher alguém para ser a minha prima,escolhia a Isabel Minhós.Tenho a certeza que teríamos os melhores fins de semana do mundo.

Para começar e esticar as pernas,lhe convidava a provar as deliciosas e sumarentas jabuticabas na casa da minha tia Djanira.Seria a sua primeira aula de improvisação musical; ali no meio do mato e na presença dos insectos mais coloridos,sentiria o gozo do som: NHOC, PLOC a explodir na boca.
Depois,correríamos para casa da minha avó e lhe apresentava a minha árvore.Sim, ainda sou do tempo que uma criança tinha uma árvore,uma árvore que era o seu domínio,o seu reino, a sua porta aberta para a aventura.E a minha árvore era belíssima,alta,carregada de folhas e com troncos preguiçosos que mais se pareciam braços esticados prontos para afagar.
A  minha árvore não tinha um nome especial,era feliz porque era simplesmente árvore,mas foi o mais lindo pé de carambola que vi na minha vida.
Lá de cima veríamos a paisagem e fecharíamos os olhos imaginando tantas coisas divertidas, que as horas passariam sem demoras.O vento levantaria as nossas saias e daria vida aos nossos cabelos.O dela, liso,como coisa macia.O meu, aos cachos,como coisa que não tem medo.
Quando chegasse o outono,nos sentaríamos tranquilas no ponto mais alto da árvore,para ver as pequeninas  violetas cobrirem todo o chão de cor.E depois gastaríamos horas,a perseguir as formigas trabalhadeiras que carregam as flores em direção ao formigueiro.
Esgotaríamos a tabela dos números a tentar contar os diferentes tipos de formigas:pretas,cor de ferrugem,brancas e as mais perigosas; as formigas parecidas com as saúvas,com  mordidas que causam ardor e febre.
Lhe agarrava pela mão e mostrava todos os meninos da rua que eram bons para brincar, e para celebrar, faríamos chás com as bonecas,com bolo de terra enfeitado com sementes, distribuído entre todos os que são capazes de sentir o gosto de comida invisível.
Visitaríamos os ninhos dos pássaros...
Colecionariamos folhas de tamanhos e formas diferentes...
Descobriríamos o mundo...
Ah! O post era para falar de livros...mas não é isto que um bom livro faz?! Nos lembrar de coisas boas e de como somos construídos com a presença do outro?!E é isto que este livro, consegue promover no leitor.
Excelente para falar de laços,afetos,literacia emocional,escuta,empatia e o crescimento que apenas na relação podemos encontrar.E como agradecer é uma prova de saúde mental,muito obrigada,Planeta Tangerina!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe um comentário