segunda-feira, 16 de agosto de 2010

NÃO É UMA CAIXA

Pensar numa caixa e...transforma-la.


O que pode acontecer com uma caixa, quando as mãos a investigam?
Mãos investigadoras, cá entre nós , trazem milagres ao mundo e com certeza criam novos significados.
Que exercício criativo, pode ser, transformar uma caixa em diferentes objectos.
Pensar e escrever possibilidades:
  • Caixa-balão
  • Caixa- futão
  • Caixa- edifício
  • Caixa -barco
  • Caixa- helicóptero
  • Caixa, caixa e mais caixa.
Não ter medo de rasgar, mudar a forma e criar um novo objeto a partir do objeto - CAIXA.

Já pensou em criar um cenário só com caixas,todas empilhadas e pintadas?
Já pensou em criar um guarda livros, com uma caixa bem decorada?
Já brincou de abrir uma caixa para depois transforma-la numa escultura?

Bem, o mundo das ideias e Criatividade, sugerem a plena experimentação. Mas apenas com liberdade, tempo e num ambiente sem criticas e com abertura de ideias, será possível desenvolver um olhar que observa tudo e transforma a sua realidade. Vale a pena o esforço.

Quem conta esta história é um coelho, criado por Antoinette Portis, vencedora do melhor Livro Ilustrado do New York Times em 2007.O livro é um jogo; provoca o pensamento, conduzindo o leitor a observar que uma caixa pode ser...o que você estiver disposto a criar.
Um exercício de possibilidades, explorado através de uma ilustração minimalista, com apenas quatro cores na sua paleta; preto,amarelo,branco e vermelho.
Mas economia nas cores não está relacionada com economia de ideias.Aqui, a proposta é falar das múltiplas capacidades de transformação de um objecto.
E já que falamos em leituras, não é a mais plena verdade, que a leitura é um processo dinâmico? E quem pensa em dinâmica, reflete o papel da animação da leitura, ou seja, o que fazer após a leitura do livro?
Pode ser divertido, criar um laboratório de ideias, onde vários objetos podem ser transformados: caixas, cadeiras, guarda-chuvas etc.
Crescer com a certeza, que tudo que nos rodeia pode transformar-se, porque se mantivermos o olhar aberto e o pensamento divergente, não há limites para a Criatividade.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe um comentário