quinta-feira, 28 de julho de 2011

E tu rabiscas?

Vamos esquecer de vez, os livrinhos para colorir e pintar, que não podemos passar da linha ou criar nada de novo.Para deixar a Criatividade fluir, algumas vezes pode ser positivo, ter um ponto de partida. E se a folha em branco, ainda é demasiado assustadora, vale a pena investir neste livro. Aqui, vai encontrar personagens, objetos e cenários onde poderá dar asas a imaginação.É diversão garantida, e o mais importante de tudo, em cada página encontrará um desafio que vai provocar a Criatividade infantil.
Mais educativo que as fichas de verão...afinal, todos precisam de descanso. E é a brincar que outras aprendizagens acontecem.

E tu, rabiscas?
Nikalas Catlow
Editora Galivro

Jogos da Glória da Editora Edicare


Férias, tempo de brincadeira gostosa e de riso. Vamos deixar os cadernos de lado e brincar. è tempo de refrescar as ideias e encontrar amigos, visitar os avós, subir nas árvores e não fazer nada.
Fica esta sugestão para tempos divertidos. 

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Barbatuques e o trabalho com as crianças



Quando falo, que é importante deixar a criança falar da sua experiência, do que sentiu e aprendeu durante o processo, há gente mal formada, que torçe o nariz...enfim, faltam as referências tão importantes para ser um orientador empático.

Cambalhota - Percurssão corporal



Leveza, que leveza. Que bom, é quando aprender e experimentar estão de braços dados.
Ando um pouco cansada e preocupada, desculpem o desabafo, com a diretividade de muitos professores de arte e expressões.
Imaginem só desenhar  segundo instruções severas...e acreditem que assisti uma cena constrangedora há pouco tempo, onde a professora, tirou o lápis da criança e literalmente fez o seu desenho dizendo: «agora sim está certo»
Só uma palavra para descrever: arrepiante!
A responsabilidade é sempre da formação destes profissionais, afinal, ainda se acredita que basta ter jeito, para dinamizar um grupo de artes.
Mas para retirar o tom de revolta, o positivo é se deixar inspirar pela naturalidade e assertividade existentes nesta pequena sessão de percussão corporal.
Afinal, aprender música pode ser divertido, pois nem todos os mortais se rendem as famigeradas flautas de biesel (desculpem, a minha foi utilizada como bateria, para indignação do meu professor de música...)

Tempo de brincar: Fui lá na horta / Peteca - TV PAULO FREIRE



Tempo de brincar é tempo de crescimento interno e de aquisição de competências sociais.
Toda a criança tem o direito de brincar, e se desejamos o seu desenvolvimento integral, devemos nos preocupar mais em lhes fornecer este tempo de brincadeira, do que sobrecarregar-las de informação e formação.
A verdade é que os pais, andam sempre assustados com o fantasma do crescimento, que geralmente é associado com a preparação para um futuro profissional. Por isso, vemos por todos os lados, atividades de enriquecimento curricular, como a aprendizagens das línguas ou novas tecnologias.
Bem, durante o vídeo, podemos ver o espírito de grupo, a alegria de estar junto e a importância do jogo como facilitador das relações interpessoais.
Pensar em recreios, onde o brincar é palavra de ordem, não é tão impossível e ainda bem que a TV Paulo Freire nos deixa esta mensagem.